Historinha da Semana - A folhinha Daniel

Citação: Jo 11, 1-45 Narrador - Hoje nosso evangelho fala de viver, morrer, ressuscitar... Jesus, que tem poder sobre a vida e a morte. E a gente pode dizer: morrer é muito ruim! Ninguém quer morrer, não! E foi por isso que me lembrei da história da folhinha Daniel. Tudo aconteceu na grande floresta... Na grande árvore da Vida... Dela nasceram muitas folhinhas... Tinha a Filó... a Mena... a Gui... a Lhermina... a Teo e a Dolina... E tinha a mais sabida, que todos ouviam, a folhinha Daniel. Eram todas folhas de uma mesma árvore, mas que mesmo parecidas, descobriram que não eram iguais... Todos os dias o mestre Daniel ensinava às folhas. Daniel - Irmãs, vocês são parte de uma árvore, que tem as raízes fortes escondidas debaixo da terra! Narrador - Filó, a mais perguntadeira, disse: Filó - E pra que serve a árvore? Daniel - Ora... Ela dá abrigo aos passarinhos, dá sombra, dá frutos, renova o ar, ela embeleza... As pessoas vêm se sentar à sua sombra... As crianças... Esse é o propósito das árvores! Filó - O que é propósito? Daniel - É uma razão para existir... Tornar as coisas melhores para os outros é uma razão de existir. Como nos balançarmos no vento para abanar as pessoas que vêm fazer piqueniques... Dar uma sombra aos velhinhos... Isso tudo é uma razão para existir!... Narrador - E o tempo foi passando... A primavera passou o verão... E chegou o outono trazendo seu friozinho... Então ocorreu uma grande transformação: Filó - Veja Mena, acordei toda vermelha... Mena - E eu, tô com uma laranja brilhante! Gui - E eu! Estou amarelinha! Lhermina - Vejam o Daniel está brilhando como ouro! Narrador - A árvore estava linda... Mas todas as folhinhas começaram a perguntar a Daniel o porquê da mudança e tantas cores diferentes. Daniel - Irmãzinhas, cada uma de nós é diferente, recebemos o sol de maneira diferente, estamos em lugares diferentes... E agora estamos vivendo o outono... Narrador - E acontece uma coisa diferente... a brisa, que antes balançava as folhinhas fazendo-as dançar, agora parecia zangada e puxava as hastes das folhinhas fazendo muitas delas caírem. Filó - O que está acontecendo? O que é isso? Narrador - E Daniel explicou pacientemente. Daniel - É isso que acontece no outono: é o momento em que as folhas mudam de casa... As pessoas chamam isso de morrer! Filó - E todas nós vamos morrer um dia , Daniel? Daniel - Vamos sim! Tudo morre... Grande ou pequeno... Fraco ou forte... Tudo morre! Primeiro, cumprimos a nossa missão e depois morremos. Filó - Eu não vou morrer não... Você vai? Daniel - Vou sim... Quando chegar o meu momento! Filó - Tenho medo de morrer, Daniel! Daniel - Isso é natural... Todos nós temos medo do que não conhecemos... Mas é preciso pensar que não tivemos medo quando a primavera se transformou em verão, e o verão em outono... Porque teríamos de Ter medo da estação da morte? Filó - E pra onde vamos quando morremos? Daniel - Mistério... Mas é importante sabermos que a vida sempre volta... Vamos nos encontrar depois no Grande Reino da Vida. Filó - Então... se vamos morrer não era preciso viver. E porque viver então ? Narrador - E Daniel, respondeu do seu jeito calmo de sempre: Daniel - Pelo sol e pela lua, pelos tempos felizes que passamos juntos. Pela sombra... pelos outros , pelos velhinhos... pelas crianças... Pelas estações... Não é razão suficiente? Narrador - E ao final daquela tarde, Daniel caiu a flutuar... Parecia sorrir enquanto caía e disse a Filó: Daniel – Adeus... amiga , adeus por enquanto... Narrador - E Filó ficando sozinha...sozinha ... a única que restava no galho... O inverno veio... Filó foi ficando mais frágil... Quando amanheceu veio o vento e arrancou Filó de seu galho... Não doeu... Ela sentiu que flutuava no ar, serena... Enquanto caía, ela viu a árvore por inteira pela primeira vez... Compreendeu que fazia parte de sua vida e sentiu orgulho disso. E viu que sua missão estava cumprida e adormeceu aos pés da árvore da vida.. isso então era a morte ? sim !!! Mas havia também o despertar a grande vida prometida e então ela despertou para o Grande Reino, finalmente, onde a alegria reinava... Onde todos se encontravam e foi aquela festa...Ali , jamais iriam se separar .. Estavam juntas no paraíso prometido por Deus

Postar Comentário

CAPTCHA security code