Turma do Carimbinho: A FIGUEIRA ESTÉRIL

E era manhã novamente... O sol parecia mais brilhante naquela época... O céu azul... As nuvens tão leves e delicadas... Toda a natureza se alegrava com aqueles dias em que se preparavam para que o Senhor do Jardim viesse colher os seus frutos... (mencionar aqui tantas árvores quanto queira. Ex: as laranjeiras traziam suas laranjas mais doces... etc.). Mas... Esperem! Vejam só! Ali! Aquelas duas figueiras... Uma ao lado da outra... Vejam... Uma carregadinha de figos e a outra... Nada! Que está acontecendo? O que será isso? (Elas espreguiçam – as 2 figueiras) 1 – UÓÓÓ! Que dia mais lindo! 2 – É mesmo amiga... Nessa época em que nos preparamos para a visita do Senhor do Jardim, até o céu e o sol ficam mais bonitos para a grande festa! 1 – É... Realmente! Pois eu estou aflitíssima para que ele chegue e repare em meus galhos longilíneos... (outras qualidades) as folhas colocadas com cuidado para não se acumularem e me tornarem pesada e sem estilo... Eu sou realmente a árvore mais estilosa desse jardim... Uma árvore chique e charmosa! (Olha para as crianças e comenta) – Olhem que cafona essa minha companheira! Não está se agüentando com o peso daqueles frutinhos horríveis! 2 – Mas, Dona Figueira... 1 – Dona, não! Que coisa mais feia "dona"... Chame-me Senhora Figueira, é bem melhor para a minha aparência! 2 – Pois, Senhora Figueira, a Senhora realmente é muito bonita, mas está se esquecendo de uma coisinha... (é interrompida com veemência) 1 – Eu não me esqueço de nadica de nada! 2 – Mas, está sim, Senhora Figueira! O nosso querido Senhor Jardineiro virá sim, mas virá colher os frutos de todas as árvores. Por isso, cada uma de nós está dando os últimos retoques na doçura de nossos frutos... Por isso estamos carregadas... 1 – Carregadas e feias! Vê se pode, querida colega (com desdém)... A colega está um horror com todo esse peso... Seus galhos estão descompostos... Seu rosto cansado e cheio de pezinhos de galinha (olha bem de perto a colega) Eu não! Eu me cuido... Passo todas as noites o hidratante "Comos" e vou mantendo a superfície do meu caule fresca e macia... Penteio as minhas poucas folhas com um galho de espinheiro que caiu aqui outro dia, e ele massageia meus lindos e longos galhos... É um tratamento de beleza diário, que consome muito trabalho... Horas e horas a fio...! 2 – Mas, Senhora Figueira, o Jardineiro vem buscar é frutos! 1 – Ora colega! Ele vem para uma festa! Quer ver gente bonita e charmosa! Vê! Se eu quisesse dar frutos teria que ter deixado aqueles bichinhos horríveis com seus pezinhos sujos andarem à minha volta para estercarem o meu solo... Teria que ter deixado os passarinhos fazerem seus ninhos nos meus galhos para ajudarem aqueles outros bichinhos barulhentos e zunidores, as abelhas, a polinizarem minhas flores... Teria que ter deixado às folhas aumentarem para dar sombra a outros bichinhos que viessem aos meus pés para afofarem a minha terrinha... Teria que ter deixado outras tantas folhinhas caírem no solo para adubá-la... Isso tomaria todo o meu tempo e me deixaria com esse ar de coisa madura que a colega está... Perderia o ar da juventude e a que hora iria cuidar da beleza? 2 – Mas, Senhora Figueira, isso tudo é que é a missão de cada uma de nós... Se o Jardineiro chegar e não encontrar na senhora nenhum fruto... Não sei não... Estou me lembrando que já há umas duas visitas dele que a senhora não lhe oferece nenhum fruto... Ele irá se lembrar... 1 – É claro que irá se lembrar... Eu sou a mais bonita desse jardim! 2 – Mas não é dessa beleza que ele procura... Por mais que a senhora esteja nos achando pesadas e desgastadas, é do fruto que o Senhor precisa e é ele que o Jardineiro quer... Por causa do fruto ele se alegra conosco e a gente é feliz por ter realizado a nossa missão... 1 – Mas... Se eu ficar dando frutos a cada estação eu vou envelhecer e morrer e isto não é justo! 2 – Mas, de todo jeito, morrer é o fim de todas as coisas vivas, e quem deixa os frutos na vida, este nunca morre... Vive para sempre com o Senhor Jardineiro... 1 – (Desapontada) Mas... O que ele pode fazer se não encontrar os meus frutos? 2 – Pode querer cortá-la como fez com o espinheiro... Aquele que a senhora achou um galho e penteia suas folhas com ele... 1 – Eco! (solta o galho de espinhos para longe!) (já mudando de idéia) Mas o que posso fazer agora? Como vou conseguir dar frutos de uma hora para outra? E se ele chegar agorinha mesmo? Ó céus! Ó vida! Porque fui tão vaidosa? 2 – Não tenha medo, Senhora Figueira... Pode ser que ainda dê tempo... O dia certo em que o Jardineiro virá ninguém sabe... Vamos chamar todos os animaizinhos e comece a servi-los com suas flores, folhas, galhos e sombra... Logo os frutos virão com abundância... Vamos... Eu também vou ajudá-la! (Os bichinhos entram e cercam a árvore) (Refletindo) Pois é, crianças, assim acontece com cada um de nós... Somos árvores plantadas no jardim da vida, no jardim de Deus. De nós, Ele espera que produzamos frutos... Frutos doces de amor, de fé, esperança, bondade... E assim como para a Dona Figueira, que entendeu sua missão e retomou o caminho para recomeçar a dar frutos, Deus também quer isso de nós, e sempre está pronto para nos dar mais uma chance...

Postar Comentário

CAPTCHA security code