Era uma manhã linda!
E, como todo dia, vovó Adélia foi chamar sua netinha para acordar… É, ela andava triste desde que seu amiguinho de escola havia morrido no último verão e todos a queriam novamente alegre.
_ Vamos Ritinha! Está na hora de levantar!
E Ritinha, de um jeito diferente, começa a falar depressa sobre o sonho que acabara de ter… Alegre como há muito tempo ninguém a via…
_Vovó! Que sonho lindo eu tive! Sonhei que tinha ido visitar o céu! É o céu!
Vovó Adélia então se sentou com Ritinha e começou a ouvir a entusiasmada narração de sua netinha
_É vovó… Era uma festa… Acho que um aniversário do anjinho Gabriel… E imagine quem estava lá?
É, a vovó imaginou e respondeu:
_O Luizinho?
_Acertou! Como a senhora sabia? Bem… E tinha brigadeiro, balão, um tantão de nuvens coloridas, um bolão enoooooooorme com uma estrela linda no alto e ainda tinha docinho de todo jeito…
Todo mundo, vovó, estava com roupas lindas e enfeitadas. Não tinha nem um pobrinho, nem doentinho, lá na festa do Bielzinho… Pois era assim que a gente o chamava naquela alegria. O Luizinho ficava comigo o tempo todo… A gente escorregava nas nuvens… Teve até pique de esconde- esconde atrás das estrelas… Até o vovô estava lá e comeu de todos aqueles docinhos… O Bielzinho o levou pra sentar numa poltrona de nuvens tão fofinha que a gente podia ver só um pedacinho do vovô.
_Ritinha que sonho lindo, hein? Mas tem umas coisinhas que você precisa saber e que vão te deixar ainda mais alegre..
_Sabe o quê? Conta vovó!
_É que um dia a gente vai se encontrar no céu, de verdade. Você vai se encontrar com o Luizinho… Eu vou me encontrar com o vovô, mas não será mais como na vida que a gente vive aqui, agora.
_Como é que a senhora sabe?
_Ah… É que a gente aprende com a palavra de Deus lá na Bíblia, Deus nos esclarece muitas coisas… E a gente pode ter certeza que é Ele mesmo que vai nos dar um grande abraço ao chegarmos ao céu… E que a alegria de estarmos com ele, participando de seu amor será a maior do mundo!
_Mas, vovó… Acho que eu queria mesmo era estar com o vovô e o Luizinho.
_Não, Ritinha… Sabe o vovô e o Luizinho? Hoje eles estão em Deus! É! Quando a gente ama Deus está amando também quem está com ele!
_Mas, e como seremos lá no céu?
_Bem… Está escrito que nós seremos anjos… Quando as pessoas morrem, o que fica no mundo é só corpo, não é? A vida… A alma de cada um de nós sobe para o céu… E é esta a parte de Deus na gente… Lá no céu todos seremos anjos, participaremos da mesma comunhão com Deus e seremos eternamente felizes.
_Então o céu é assim, vovó? Mas o vovô e o Luizinho irão ficar conosco lá, não é?
_O céu, Ritinha, é uma comunidade de amor, todos nós ficaremos juntos, não só com quem já conhecemos, mas todos nós seremos uma família em Cristo. Não haverá mais tristeza, nem dor, nem sofrimento, nem violência, nem fome. No céu não tem guerras e doenças e todos nós jamais morreremos de novo.
_Nossa, vovó… Assim dá uma vontade de ir pro céu agorinha mesmo.
_Não se apresse, Ritinha. Tudo tem seu tempo e nós ainda temos que construir aqui na terra, com nossa missão, um lugarzinho especial no céu.
_É vovó… Então eu serei muito boa, amável e caridosa, pra um dia o céu merecer.
_É isto mesmo, minha netinha.
_De agora em diante, não mais ficarei triste ao pensar no Luizinho e no vovô, pois tenho certeza que eles estão muito melhores do que nós e procurarei fazer tudo de bom nesse mundo para um dia vivermos todos juntinhos no céu, para a eternidade.
(Beija a vovó e lhe diz).
_Vovó, você é um presente de Deus para mim!