Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus (Mt 15,1-2.10-14)

4 agosto 2020
Categoria
Liturgia diária
Comentários  0
Naquele tempo, alguns fariseus e mestres da Lei, vindos de Jerusalém, aproximaram-se de Jesus, e perguntaram: “Por que os teus discípulos não observam a tradição dos antigos? Pois não lavam as mãos quando comem o pão!” Jesus chamou a multidão para perto de si e disse: “Escutai e compreendei. Não é o que entra pela boca que torna o homem impuro, mas o que sai da boca, isso é que torna o homem impuro”. Então os discípulos se aproximaram e disseram a Jesus: “Sabes que os fariseus ficaram escandalizados ao ouvir as tuas palavras?” Jesus respondeu: “Toda planta que não foi plantada pelo meu Pai celeste será arrancada. Deixai-os! São cegos guiando cegos. Ora, se um cego guia outro cego, os dois cairão no buraco”.
PALAVRAS DO SANTO PADRE
Para eles Deus é o que fez a lei. E este não é o Deus da revelação. O Deus da revelação é Deus que começou a caminhar conosco desde Abraão até Jesus Cristo, Deus que caminha com seu povo. E quando se perde esta estreita relação com o Senhor, cai-se na mentalidade obtusa que acredita na auto-suficiência da salvação com o cumprimento da lei. Excluir a capacidade de entender a revelação de Deus, de entender o coração de Deus, de entender a salvação de Deus – a chave do conhecimento -, podemos dizer que é um esquecimento sério. Esquece a gratuidade da salvação; esquece a proximidade de Deus e esquece a misericórdia de Deus. (Santa Marta 19 de outubro de 2017)
Fonte: https://www.vaticannews.va/pt/palavra-do-dia/2020/08/04.html
Foto: james-coleman-Cn0lTN1itus-unsplash

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *