Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 18,35-43

16 novembro 2020
Categoria
Liturgia diária
Comentários  0
 
Quando Jesus se aproximava de Jericó,
um cego estava sentado à beira do caminho, pedindo esmolas.
Ouvindo a multidão passar,
ele perguntou o que estava acontecendo.
Disseram-lhe que Jesus Nazareno
estava passando por ali.
Então o cego gritou:
‘Jesus, filho de Davi, tem piedade de mim!’
As pessoas que iam na frente
mandavam que ele ficasse calado.
Mas ele gritava mais ainda:
‘Filho de Davi, tem piedade de mim!’
Jesus parou e mandou que levassem o cego até ele.
Quando o cego chegou perto, Jesus perguntou:
‘O que queres que eu faça por ti?’
O cego respondeu:
‘Senhor, eu quero enxergar de novo.’
Jesus disse: ‘Enxerga, pois, de novo.
A tua fé te salvou.’
No mesmo instante, o cego começou a ver de novo
e seguia Jesus, glorificando a Deus.
Vendo isso, todo o povo deu louvores a Deus.
 
PALAVRAS DO SANTO PADRE
“”Ele pode fazer isso. Quando ele fará, como o fará, não sabemos. Essa é a segurança da oração. A necessidade de dizer a verdade ao Senhor. “Sou cego, Senhor. Tenho essa necessidade. Tenho esta doença. Tenho este pecado. Tenho esta dor…”, mas sempre a verdade, como ela é. E Ele sente a necessidade, mas sente que nós pedimos Sua intervenção com certeza. Pensemos se nossa oração é necessitada e segura: necessitada, porque dizemos a verdade para nós mesmos, e segura, porque acreditamos que o Senhor pode fazer o que pedimos”. (Santa Marta 6 de dezembro de 2013)
https://www.vaticannews.va/pt/palavra-do-dia/2020/11/16.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *